MoMA apresenta exposição de arte do Leste Europeu e da América Latina

Mapa da América de Juan Downey.

É sempre interessante saber o que uma instituição rica e aquisitiva como o Museu de Arte Moderna adicionou à sua coleção. A reportagem mais recente é a exposição Transmissões: Arte na Europa Oriental e América Latina, 1960-1980, que estreia em 5 de setembro e apresentará cerca de 300 obras em várias mídias, muitas delas em exibição pela primeira vez. Quase todos datam de cerca de 1968, um período em que a arte se diversificou radicalmente, às vezes se desmaterializando completamente. Essas obras representam artistas de regiões distantes cujos esforços correram paralelos em termos de estratégias (amplamente conceituais, frequentemente orientadas para a performance), contextos políticos (muitas vezes opressores) e interesses (protesto, mídia de massa, arte popular). Alguns nomes - Valie Export, Ana Mendieta, Edward Krasinski, Juan Downey, Fernando Botero - serão familiares; outros serão muito menos. O show certamente refletirá o desejo do MoMA de um amplo alcance global, mas talvez também a estreiteza estética de sua elevação implacável do trabalho de orientação conceitual. (Até 3 de janeiro, moma.org .)